A escova de dentes é um dos principais instrumentos da higiene bucal. É com ela que removemos a maior parte da placa bacteriana que se deposita na superfície dos dentes, e também da língua. Mas com tantas opções disponíveis, como escolher? Embora existam diversas opções específicas para cada necessidade de higiene, algumas características são básicas na hora de eleger a escova ideal:

– cabeça pequena: mesmo que sua boca seja grande, o ideal é que a escova seja compacta, para que você possa “manobrar” com facilidade durante a escovação, alcançando áreas de difícil acesso, como os sisos, sem se machucar. Escovas tamanho 30 ou menor são as mais indicadas.

– cerdas macias: alguns pacientes têm a impressão que cerdas macias não limpam, porém é uma questão de adaptação. Escovas duras podem remover placa com mais facilidade, porém causam danos ás gengivas e desgaste nos dentes e restaurações. Escovas macias precisam de um pouco mais de tempo e dedicação, mas proporcionam uma higiene mais completa.

– cerdas retas: não há evidência de que cerdas inclinadas, com diferentes alturas, ou feitas em borracha ou silicone tenham a mesma eficiência na escovação. Elas podem inclusive ser mais agressivas com as gengivas. Nesse caso, quanto mais simples, melhor – opte por escovas com cerdas de nylon densas e da mesma altura.

Lembre-se: essas são dicas gerais. Cada paciente tem uma necessidade diferente. A presença de aparelho ortodônticos, próteses, dentes muito afastados ou próximos podem causar dificuldades na escovação, e existem técnicas e materiais para facilitar esse processo. Converse com nossa equipe, e descubra quais métodos de higiene são ideais para você.

Comente via Facebook